• Artigos Saint-Gobain Canalização

Artigos Saint-Gobain Canalização

Junta elástica para canalizações em ferro dúctil

Enviado em 06 Setembro 2018, 15:06 PM

­­­­JUNTA ELÁSTICA JGS

PRINCÍPIO

A junta elástica JGS é automática, sendo sua estanqueidade assegurada no momento da montagem pela compressão radial do anel de vedação, pela simples introdução da ponta do tubo no interior da bolsa. Suas características principais são:

• facilidade e a rapidez da instalação

• resistência às altas pressões

• possibilidade de deslocamento axial e a deflexão angular; e

• não permitir a montagem em posição invertida.

Normas: NBR 13747 e NBR 7676.

IMPORTANTE: A junta JGS, denominação adotada pela Saint-Gobain Canalização, é idêntica à JE2GS descrita na norma NBR 13747.

DESCRIÇÃO

A bolsa apresenta internamente um alojamento com um batente de travamento onde se encaixa o anel de vedação e um compartimento que permite os deslocamentos angulares e longitudinais dos tubos.

O anel de vedação apresenta:

• um ressalto de encaixe;

• um plano inclinado de centragem.

 

DIÂMETROS:

• Tubos e conexões: DN 80 a 1200*

*DNs 1400 a 2000 - Consultar.

 

CAMPO DE APLICAÇÃO:

• Canalizações enterradas e aéreas;

• Altas pressões;

• Assentamento em solos com lençol freático;

Esta junta pode ser igualmente utilizada no assentamento aéreo, graças às suas possibilidades de absorção das dilatações térmicas, evitando, assim, a colocação de uma peça especial para absorver a contração ou dilatação da canalização.

 

DESEMPENHO:

Resistência à pressão:

 

A concepção da junta JGS é tal que a pressão de contato entre o anel de vedação em elastômero e o metal aumenta à medida que a pressão interna cresce. Uma estanqueidade perfeita é então assegurada. Em um teste destrutivo, ocorre a ruptura do tubo e o anel da junta permanece inalterado.

A junta JGS se caracteriza também por uma excelente resistência à pressão externa: resiste a 0,3MPa (30 metros de coluna de água). Para pressões superiores, consultar a Saint-Gobain Canalização.

Deflexão angular e deslocamento axial

A importância da deflexão angular permitida pela junta JGS dá uma grande flexibilidade à concepção e ao assentamento da canalização, permitindo a eliminação de algumas curvas no seu traçado.

DN

Deflexão máxima admissível

Afastamento

graus

cm

80 a 150

52

200 a 300

42

350 a 600

32

700 a 800

25

900 a 1200

1°30'

19

A deflexão angular e o afastamento permitido pela junta JGS asseguram um excelente comportamento em caso de movimentação do terreno ou de escavações próximas à canalização.

IMPORTANTE: No caso de anéis de borracha JGS a Saint-Gobain Canalização aconselha que eles sejam utilizados em até seis anos, após a data de fabricação.

A junta JGS permite ainda um deslocamento axial absorvendo dilatações de pequena amplitude.

DN

Deslocamento axial

Alinhado

Defletido

mm

mm

80

37

29

100

33

22

150

38

23

200

42

22

250

41

17

300

38

9

350

43

17

400

42

12

450

43

9

500

43

6

600

46

2

700

30

15

800

30

8

900

30

8

1000

38

12

1200

38

7

*Consultar a Saint-Gobain Canalização, para DNs 1400 a 2000.

O deslocamento axial deve ser considerado como uma segurança e não para movimentos contínuos.

 

NORMAS:

Essa junta está em conformidade com as normas brasileiras NBR 13747 e NBR 7676.

 

TERRENOS INSTÁVEIS:

As juntas elásticas com anel de elastômero dão às canalizações de ferro dúctil uma flexibilidade que constitui um elemento de segurança na travessia de terrenos instáveis, como regiões pantanosas, aterros sanitários etc.

Em cada um desses casos, é conveniente avaliar a depressão potencial e tomar todas as precauções para minimizar o efeito do movimento do solo sobre a canalização. As medições no campo são sempre aconselháveis.

A experiência mostra que, quando ocorre um movimento do terreno, as canalizações devem poder acompanhar as deformações impostas pelas massas das terras em movimento, em lugar de resistir às tensões mecânicas (tensão axial e flexão), frequentemente consideráveis.  As juntas JGS dos tubos Saint-Gobain Canalização constituem zonas de tensão e de flexão nula, em seu ponto de deflexão angular.

Nas depressões extensas e uniformes, a junta confere à canalização o comportamento de uma corrente flexível. Sendo assim, os limites de deformação são fixados pela deflexão e movimento axial máximo admissível de cada junta.

 

DESLOCAMENTO ADMISSÍVEL DEVIDO À DEFLEXÃO NAS JUNTAS:

 

Rebaixamento: ΔH = l tgθ

Movimento axial: Δl = (ΔH2 + l2)1/2 - l

l: comprimento do tubo (m)

θ: desvio angular admissível

 

Exemplo

Para ΔH = 0,30m no DN 200

θ = 3° (4° admissível)

Δl = 7mm (20mm admissível com a junta JGS)

 

Não existe risco de desmontagem da junta, pois o movimento axial pode ser totalmente absorvido.

 

COMPORTAMENTO DE UM TRECHO

 

Rebaixamento: ΔH = 2l (tgθ + tg2θ + tg3θ + ... + tg n4 θ)

Alongamento axial: ΔL≈ (L2+ 163ΔH2)½ – L (para θ muito pequeno)

 

l = comprimento de um tubo

L = comprimento do trecho rebaixado

n = número de tubos do trecho rebaixado (n= LI)

 

A canalização se deforma acompanhando o terreno até os limites da não desmontagem, em função do jogo admissível das juntas.

 

Observação:

Em casos de rebaixamento ocasionando comprimentos ΔL muito grandes, uma solução pode consistir em travar as juntas e completar o comprimento deste trecho com peças colocadas nos limites entre as zonas estáveis e instáveis.

 

Exemplo:

No DN 300, para ΔH = 0,5m e L = 300m:

θmédio= 0,04° (4°admissível)

ΔL = 3mm

 

Uma só junta pode suportar o movimento axial devido à curvatura feita pelo trecho de 300m rebaixado de 0,5m em seu eixo.

 

 

Download artigo

Comentários (2)
Fechar

Comentários

Tiago Golfetto

postado em 19 Setembro 2018, 14:07 PM
O Formulário para receber o artigo não funciona. Ao selecionar o estado do Rio Grande do Sul não listam as cidades do estado.

RAMIRO ALTAMIRANO

postado em 19 Setembro 2018, 19:08 PM
Sr. Tiago Golfetto: Escribo desde La Paz - Bolivia, me gustaría contar con los artículos; es muy importante para mi trabajo. reciba un saludo